A pena de morte já existe no Brasil

|



Em algumas cidades a falta de segurança é tanta que muitas pessoas acabam ficando reféns da violência dentro das próprias casas não tendo assim seus direitos garantidos.


Muito se discute e comenta sobre a aplicação de pena de morte no Brasil para crimes bárbaros.

No entanto tal assunto sempre gera polêmica e as mais diversas reações, opiniões e pontos de vista, afinal em um país como o Brasil onde a justiça não funciona como deveria funcionar, provavelmente teríamos inocentes sendo julgados e mortos.

Porém a cada dia que passa temos notícias de crimes estúpidos, assim como foi o do menino arrastado até a morte por bandidos no Rio de Janeiro ou o crime que ocorreu semana passada em Curitiba, capital do Paraná que chocou todo o estado, onde uma universitária de apenas 18 anos, foi abordada na frente da academia que freqüentava na área central da cidade, foi assaltada, violentada e morta com um tiro na boca e após teve o seu corpo queimado.

Os bandidos que cometeram tal ato de barbárie e crueldade já foram encontrados e presos, entre os delinqüentes dois menores de idades que em poucos dias estarão nas ruas novamente.

Segundo informações divulgadas na impressa os bandidos não conheciam a vítima e agiram com extrema violência, uma violência gratuita, afinal eles não conheciam a estudante, nunca tinham a visto antes, ela nunca tinha feito mal algum a eles, no entanto eles decretaram a pena de morte para ela.

Pena de morte esta aplicada a inúmeros brasileiros inocentes diariamente, brasileiros estes que trabalham , que dão duro no dia a dia, que trabalham quase 5 meses do ano para pagar impostos, tarifas e tributos ao governo e geralmente ou quase sempre não tem o devido retorno dos impostos pagos em Educação, Saúde e muito menos em Segurança.

Finalmente o que nos resta é esperar e orar para que um dia nosso país abençoado por Deus com um povo trabalhador possa ter um pouco mais de paz e segurança.




Navegue:
23 Comentários

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *