Gráfite e Arte sim Pixação Não!

|



Existe uma diferença muito grande entre a arte de grafitar e o vandalismo que é pixar muros e faixadas de empresas e prédios públicos.


Até hoje as pessoas confundem muito o pixar com a arte do gráfite, e pensando sobre isso resolvi escrever um pouco sobre a arte do grafite que animam e dão um novo visual nas cidades, muito diferente dos pixadores que acabam cometendo vandalismo e aumentando a poluição visual.

Por isso GRAFITE SIM!!! Pixação não.

Segundo a wikipédia Grafite ou Graffiti (do italiano graffiti, plural de graffito) significa “marca ou inscrição feita em um muro”, e é o nome dado às inscrições feitas em paredes desde o Império Romano.

ENCONTRO DE GRAFITE ZL SP by ADONAY DIAS

Termos e Gírias:
* writter – artísta que pinta graffitis.
* pixação – forma de graffiti criado em São Paulo, com caligrafia específica, e suas próprias regras. É totalmente independente do graffiti hip-hop, sendo ainda a forma de graffiti mais praticada na capital paulista.
* bebs – bonecos que adornam ou compõem os grafitis.
* bite – dar bites, imitar o estilo gráfico de outro.
* bombing – grafite que se realizam rapidamente, pouco adornados e com letras pouco elaboradas, geralmente arredondadas.
* caps – cápsulas que se colocam na saída das latas de spray. Existem caps específicos para cada tipo de traço pretendido.
* crew – conjunto de writters que usualmente pintam juntos, existindo nos seus trabalhos uma assinatura ou sigla que identifica esse colectivo.
* cross-out (ou cross) – pintar algo (traço, tag ou desenho) sobre um trabalho alheio.
* detonado – local ou parede cheia de bombing.
* fill-in – preenchimento (simples ou elaborado) do interior das letras de um throw-up ou piece.
* hot – parede ou zona repleta de graffitis; zona de grande risco para os writters fazerem o seu trabalho.
* kings – writter experiente, grande número de trabalhos realizados. O contrário de toy.
* outline – contorno das letras desenhadas.
* piece – grafite em cores, bastante elaborado. Normalmente constituído por fundos trabalhados, letras estilizadas e adornadas com caracteres.
* queimar spots – cobrir uma parede ou uma zona com trabalhos de pouca qualidade.
* tag – assinatura do writter.
* taggar – escrever a tag do writter junto a sua obra simplesmente para marcar o sitio em questão.
* toy – writter inexperiente. O contrário de king.
* throw-up – actividade do writter quando este se limita a tagar paredes.
* wall of fame – muro de grandes dimensões pintado com uma sequência longa de pieces.
* wild style – graffiti caracterizado por uma forte estilização das letras, tornando-o praticamente ilegível.
* degrade – mudança de cores nos pieces, geralmente do branco a uma cor escura.
* chock wave – modo de pintar um piece, usando gradualmente, ondas dentro dele.
* spot – lugar onde se pratica graffiti
* pico do bom – lugares onde são bons para os writters fazerem seu trabalho, tranquilamente fazer seu piece.
* vem buscar u que é teu, juro nao me canso de esperar




Navegue:
14 Comentários

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *