CRISE-Quem tiver dinheiro na mão poderá fazer ótimos negócios

|

Aumento do consumo, crédito fácil e financiamentos a perder de vista comprometeram a renda de muitas famílias com isso o cenário próximo mostra que quem estiver líquido terá chances de fazer ótimos negócios.


Consumo, consumo e consumo, esse foi o cenário do Brasil nos últimos anos, o que mais se viu e se falou foi em realizar sonhos, em comprar o tão sonhado carro zero km, a casa própria, aquela tv de tela plana gigante etc.

Mas para que isso tudo fosse possível existe um detalhe muito importante, detalhe esse que nem todas as pessoas se deram conta, com juros baixos e crédito mais fácil, muitas pessoas tiveram acesso a ele pela primeira vez, e com isso financiaram de tudo, desde a casa própria em 35 anos ao carro zero em 60 vezes, sem contar os boletos da tv e da geladeira nova.

Então pode-se concluir de forma baste superficial, que atualmente o que existe não são pessoas “mais ricas” ou com maior poder aquisitivo, mas sim pessoas e famílias mais endividadas, e com dívidas longas como no caso do financiamento de carros e da sua casa própria.

E caso elas deixem de pagar as parcelas mensalmente o bem que elas compraram, seja a casa ou o carro, pode ser retirado e devolvido ao banco, ou seja, não são propriamente dito donos enquanto não quitarem o saldo devedor de suas dívidas.

Futuro próximo

Nem todas as pessoas se deram conta ainda que a situação de algum tempo para cá mudou, e mudou bastante, talvez pelo fato de ainda estarem “embriagadas” e ludibriadas pelo crédito fácil e pelas inúmeras “conquistas” que tiveram nos últimos anos, principalmente com a alta dos juros, onde tomar dinheiro emprestado ficou mais caro, então como continuar consumido sem ter mais crédito e ter boa parte do orçamento comprometido com inúmeras parcelas de financiamentos?

E é neste momento que vem a verdadeira “ressaca”, na qual percebe-se que não existiu uma acensão financeira, mais sim um endividamento, e sem poder de compra devido a boa parte da renda estar comprometida, acaba vindo consequentemente a redução do consumo, e isso de certa forma não é algo bom, pois com menos consumo, a engrenagem da economia não gira, as empresas vendem menos, e assim contratam menos, aumenta o desemprego e acaba-se entrando em um ciclo nada bom.

Claro, essa é uma opinião pessoal, de uma pessoa leiga em economia que somente observa a sua volte e então tira as suas conclusões.

Com crise se cresce

Crises não são boas, porém aquelas pessoas que sempre tiveram o pé no chão, e não se endividaram neste período de credito fácil, e conseguiram aumentar suas reservas, poupando e economizando com certeza poderão fazer ótimos negócios em breve, principalmente se o cenário que tem se desenhado venha realmente a acontecer, uma vez que com a diminuição do crédito fácil, quem estiver líquido, ou seja, com o dinheiro na mão terá poder de negociação, conseguirá negociar melhores preços, afinal existirá mais oferta que demanda.

Então vamos aguardar os próximos capítulos dos acontecimentos no Brasil, e ver até onde chega essa farra do crédito fácil e do consumo desenfreado e quando isso acontecer, aqueles que se mantiveram sóbrios não terão as dores de cabeça dessa ressaca e poderão com certeza aproveitas as melhores oportunidades que possivelmente irão surgir aos montes.

E você o que acha do assunto? Concorda ou discorda do texto acima? Deixe sua opinião comente!



Navegue:

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *